sexta-feira, 24 de maio de 2013

Transporte público sempre. Táxi nunca!

Mochileiro que se preze não sabe dizer se táxi é barato ou caro na Europa. Eu mesmo não peguei nenhum.
Andava de metrô, trem, bonde, ônibus e caminhava bastante. E acho que essa é a melhor maneira de se conhecer a Europa, pois assim você entra na rotina local, junto com a galera que está indo trabalhar ou voltando pra casa após um dia de trabalho. Isso sim é conhecer outras culturas e não ficar dentro de uma van ou de um táxi.

Metrô na Europa é uma coisa muito disseminada. Você sempre estará perto de alguma estação.
Compre sempre bilhetes com 10 viagens, pois saem bem mais baratos que comprar um por um.
ATENÇÃO! Não jogue seu bilhete fora quando entrar. Nas estações, vagões, ônibus e bondes tem fiscais pedindo pra ver os bilhetes. Quem estiver sem toma uma multa ardida.

Os bilhetes são comprados em máquinas. Você pode selecionar o idioma. Esqueça. Você não vai encontrar uma com português.
Máquina para compra de bilhetes no metrô de Barcelona.

Há também cartões próprios para turistas, que além de te dar viagens livres na rede de transporte público, dão bons descontos nas atrações da cidade, como museus e outros lugares que cobram ingresso. Esses cartões só valem a pena pra quem vai ficar no mínimo cinco dias usando o transporte público e pretende entrar nas atrações. O ideal é você fazer seus cálculos antes de comprar. Esse tipo de cartão várias cidades têm. São o London Pass, Paris Pass, Roma Pass, Welcome Card (Berlim), etc...

Ao final, vou postar mapas dos metrôs que tenho.

Algumas dicas das cidades:

Barcelona
Cidade com um transporte público perfeito. Tudo moderno e informatizado. Metrô pra todo lado, bonde (tram) integrado ao metrô. Nos finais de semana, o metrô tem horário estendido, sendo que de sábado pra domingo não fecha. Compre o ticket de 10 viagens. Pode ser usado por mais de uma pessoa. Cada vez que você coloca na catraca ela carimba a data e hora do início da viagem. Durante uma hora você pode usar ônibus, bonde (tram) e metrô.
Você vai inserir o bilhete na catraca, ela vai carimbar e você pega de volta. Ao lado, sai o número de passagens que ainda há no bilhete.
Apenas as principais estações têm guichê com funcionário atendendo. Na maioria, só máquinas.
Metrô de Barça

Londres
Além do London Pass, há o Oyster Card. Foi o que usamos e realmente é vantajoso. O valor da passagem dai bem mais barato. Você paga 5 libras por ele, que pode reembolsar ao devolver no dia de ir embora. Você pode adquirir em qualquer estação e até nos aeroportos. Você vai carregando conforme precisa. Os créditos não são reembolsáveis.
Em Londres o transporte público é dividido em zonas. pra andar na zona 1 é um valor. Pra ir da 1 pra 2 é um pouco mais e assim por diante.
Quando você for entrar no metrô, encoste o cartão no sensor da catraca. Na estação destino, enconste novamente o cartão na catraca da saída. Ele calcula o que você andou e debita, mostrando o saldo restante no visor.
Há o Travel Card. Viagens ilimitas. 7 dias = 47,60 libras.

Paris
O esquema aqui é comprar a cartela com 10 bilhetes de metrô. Custa 12,50. Se fosse comprar um por um, pagaria 1,70 cada.

Praga
As atrações turísticas são numa região que dá pra fazer toda a pé.
O que você tem que se preocupar é pegar o ônibus 119 no aeroporto para ir até Dejvicka. Lá pega o metrô para o centro histórico. O bilhete que você usou no ônibus já te permite usar o metrô. Compre no guichê que há no aeroporto.

Berlim
Não há catracas. O que há são totens amarelos. Valide o seu bilhete neles antes de entrar no trem ou metrô.  Não deixe de validar e não jogue o bilhete fora. Lembre-se da multa de fazer mochileiro chorar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário